[Live#5] Agrotóxicos na Água

A Rede Ecológica, no incentivo a Agricultura Urbana como uma das estratégias fundamentais para a Soberania Alimentar de nossas casas e, sobretudo, dos territórios economicamente vulneráveis da cidade, tem se aproximado da temática da água.

Na ação que foi contemplada pela Chamada Pública para apoio as ações emergenciais junto a populações vulneráveis – Covid 19, por exemplo, a Rede Ecológica se propôs a apoiar a construção de uma cisterna para a captação da água da chuva, na Serra da Misericórdia, onde o CEM desenvolve projeto de Agricultura Urbana, além de prever a doação de filtros de barro e de vela para famílias da Serra da Misericórdia (junto ao CEM) e de Pedra de Guarativa (junto a FAG-Fundação Angélica Goulart) e ao trabalho de fornecimento de quentinhas e água potável desenvolvido pelo Coletivo Rua Solidária.

Além disso, representados pela Ruth Freihof (Santa) na Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e pela Vida, gostaríamos de convidá-los aos debates Ao Vivo promovidos pela Campanha todas às 4as feiras, às 14h.

Nesta quarta-feira (27/05), às 14h, horário de Brasília, aconteceu a live da Campanha Contra os Agrotóxicos que debateu um tema fundamental: a água. Cerca de 2/3 do nosso corpo é feito de água: quais os efeitos que uma água contaminada por agrotóxicos por causar em seres humanos e animais? Existem limites seguros? O que podemos fazer para garantir uma água limpa?

O tema ganha ainda mais relevância com a abertura da consulta pública do Ministério da Saúde sobre a nova portaria de potabilidade da água.

Para falar sobre este tema: Mônica Lopes-Ferreira, imunologista e pesquisadora do Laboratório Especial de Toxinologia Aplicada (LETA) do Instituto Butantan, e Wanderley Pignati, médico e pesquisador do Núcleo de Estudos Ambientais e Saúde do Trabalhador (NEAST), da UFMT. Ambos falaram sobre suas pesquisas que investigam a presença de agrotóxicos na água e seus efeitos em seres humanos e animais.
Acompanhe a Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e assista o debate:

Eduardo Moreira anuncia inédito Banco Popular no Brasil aos moldes do Triodos Bank

por Nilson Dias site Viver Fora do Sistema – O economista e ex-banqueiro Eduardo Moreira anunciou neste última sábado 16 de Maio a fundação do FINAPOP, um banco onde os investidores terão a certeza de que seu dinheiro está sendo empregado em iniciativas do bem, como o apoio à agricultura familiar e empreendimentos sustentáveis.

A iniciativa tem como inspiração o Triodos Bank, um banco que surgiu na Catalunha com a missão de ser um banco ético e sustentável e de fazer o “dinheiro trabalhar” para mudanças sociais, culturais e ambientais positivas. O banco só investe em empresas sustentáveis e não usa capital especulativo, apenas dinheiro de verdade aportado por seus correntistas e investidores.

No Brasil, a iniciativa está registrada na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e a primeira operação registrada garantirá aos seus investidores um retorno pré-fixado de 5.5% ao ano livre de IR, o que chega muito próximo ao rendimento do Tesouro Direto prefixado com vencimento em 6 anos. Nesta operação inaugural, o FINAPOP emitiu um CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio no valor de R$ 1 milhão para financiar a expansão do parque industrial da COOPAN que é a maior produtora de arroz orgânico da América Latina e é um empreendimento 100% gerido por assentados do MST.

No anúncio feito através de uma teleconferência, Eduardo se mostra estar muito emocionado com a iniciativa que poderá causar uma verdadeira revolução fundiária e econômica no país com a abertura de um banco onde a população brasileira poderá investir como investe na poupança, CDB ou Letras do Crédito Agrícola com acesso ao fundo garantidor até o valor de R$ 250 mil reais e sabendo que este recurso além de trazer retorno financeiro, estará sendo catalisador de grandes mudanças em nosso país.”

Assista anúncio do FINAPOP:

 

 

 

A Importância das Cestas de Alimentos em tempos de COVID 19

Essas não são as cestas que a Rede tem distribuído e ainda vai distribuir com os recursos que vem sendo arrecadados pelas campanha nacional e internacional  O Campo e a Favela de Mãos Dadas, mas Bibi Cintrão (Santa) quis dividir conosco o depoimento que recebeu no grupo de acompanhamento ao CAC (Centro de Atividades Comunitárias) onde o  Programa da Rede Ecológica Campo e Cidade se Dando as Mãos, tem desenvolvido atividades há alguns anos e onde funciona o Núcleo São João do Meriti.Um jeito de mostrar os sentimentos que perpassam tod@s que estão envolvid@s nestes lindos trabalhos de solidariedade.

O depoimento é da Adriana Melo, coordenadora do CAC-Centro de Atividades Comunitárias de São João do Meriti  e fala da sua participação na entrega de 30 cestas básicas que aconteceram no dia 21 de maio às famílias de alunos da Escola do CAC:

Vivemos tempos difíceis, muitas tensões e estou buscando as palavras certas para demonstrar todas as emoções que senti hoje….

Senti medo, por poder voltar para casa contaminada, e contaminar minha mãe.

Me senti fortalecida, com o gesto da Escola de Música da AMC (Associação do Movimento de Compositores da Baixada Fluminense), que com sua doação de 30 cestas básicas me deu uma injeção de ânimo.

Senti muita alegria, por reencontrar as professoras do CAC, mesmo com todos os nossos medo: Rusami é do grupo de risco e estava lá. Também tivemos a ajuda do marido de Rusami… É claro que sentimos falta da Roseane, que não está em São João, mas tenho certeza, que se estivesse teria vivido mais esse momento conosco, e seu marido também, se fosse necessário ! Estar lá com vocês foi bom demais!!!

Senti tristeza por não poder abraçar cada uma das pessoas que encontrei hoje…

Senti muita felicidade em ver, como famílias muito humildes, cuidam tão bem de suas crianças que nem imaginamos a dificuldade em que vivem.

Senti muita dor em ver a dificuldade de tantas famílias, independente da pandemia.

Fiquei muito, mas muito Grata, ao ver o sorriso das famílias ao receberem a cesta, o livro e a mudinha de suculenta. São encontros que vou levar comigo para sempre!!!

 

Todos sabem o quanto o CAC me emociona! E hoje cheguei em casa exausta, mas muito gratificada por vocês me darem essa oportunidade e eu poder viver todas essas emoções!! Muito obrigada!!! Saibam que eu sempre peço forças para continuar junto com vocês regando esse sonho que é o CAC!!! Hoje, percebi que são vocês que me dão força!!!

Só posso dizer a TODOS E TODAS que apoiam o CAC, MUITO OBRIGADA por me proporcionarem esse dia!! Sem vocês eu não estaria mais no CAC!!

Foi um dia cansativo! Mas recarregou minhas e energias!