Veja como a Rede está lidando internamente com o Corona

Diana Rosa e Eduardo, preparando o espaço de Yoga da Débora para receber os Secos de abril.

Estamos iniciando este balanço que passa por muitas ações externas, mas também revela uma grande resiliência da Rede internamente. Decidir por manter as entregas, dentro do possível, os esforços de organizar um mutirão, mesmo sem espaço específico para isto, todos os cuidados com as entregas, sempre com muita conversa coletiva, o zap funcionando a mil e as pessoas muito colaborativas.

Semana passada a aplicação do questionário revelou a posição da maior parte dos Cestantes de manter as entregas e mostrou o quanto a Rede é importante na vida das pessoas, que não estão poupando esforços para que ela continue funcionando apesar dos tempos difíceis.

O núcleo o Grajaú, coordenado pela Beth Lessa e pela Débora Regufe, acabou se destacou nesse sentido, pois apesar de estar sem sede mostrou um forte espírito de solidariedade e ajuda mútua. Importante destacar a o importante papel da responsável pelas entregas desse núcleo, Diana Rosa Avelar que com muita eficiência e delicadeza foi coordenando os trabalhos, para que tudo desse certo.

Optou-se por uma carona super solidária, em que uma pessoa tem feito a entrega para 2 ou 3 próximos ao seu trajeto. Raíssa e Ernesto ofereceram sua casa para separação de frescos. Débora, da Comissão Gestora disponibilizou sua sala de Yoga, não utilizada neste momento, para que os frescos fossem separados. Acabou ficando os frescos em um espaço, os secos em outro, mas a compreensão e colaboração foram muito grandes. O grupo cresceu muito neste processo. Seria legal saber das vivências de outros núcleos.

Como mobilizar pessoas para contribuir com a Campanha lançada pela Rede

Uma forma interessante de contribuir com a campanha foi encontrada por Solange Braga (Urca). Ela mobilizou familiares e amigos, além dos associados do núcleo, para colaborarem tomando como referência o cálculo de cestas.

O grupo vai beneficiar 17 famílias, com entrega de duas cestas, durante um período de 3 meses, arrecadando um total de R$ 1.224,00. O valor será repassado para produtores, ou outras necessidades que se apresentem.

O cálculo tomou por base o valor de R$ 36,00 para uma cesta mensal de frescos.

Esta forma de organização poderia ser pensada para todos os nossos núcleos. É a hora da combinação de criatividade e solidariedade!