RECA

Produto: palmito de pupunha

Local: BR364 – CP522 – CEP 69900-270 – Nova Califórnia – Rondônia
Tel: (68) 236-1046 ; Fax (68) 236-1007
E-mail projetoreca@yahoo.com.brreca@mndnet.com.br
Site: http://www.clab.it/gc/reca
Contato: Ciro Frossard ou Manoel Belford da ONG CAPINA – Cooperação e Apoio a Projetos de Inspiração Alternativa (http://www.capina.org.brr ) que realiza um apoio direto à comercialização de produtos da agricultura familiar e que trazem esses produtos para o Rio de Janeiro.  Tel: (21) 2220-4580

O projeto RECA nasceu do sonho de pequenos agricultores, migrantes oriundos de várias partes do país, com o firme propósito de se fixarem no assentamento feito pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) em Nova Califórnia, divisa do Acre e Rondônia. Eles logo entenderam que a terra da Amazônia, na região onde moram, não agüenta mecanização, pois a camada fértil é muito superficial. No verão o sol é tão quente que queima tudo e deixa a terra dura como pedra. Se continuassem o desmatamento e as queimadas, não conseguiram sobreviver ali. A partir dessas reflexões, elaboraram um projeto agrícola alternativo, o PROJETO RECA para trabalhar com plantas da região de forma consorciada e adensada, recuperando as capoeiras, evitando as queimadas e procurando a integração com o ambiente da Floresta Amazônica. O pessoal do RECA pesquisa mais de 40 espécies de fruteiras nativas para enriquecer suas plantações e diversificar a oferta de produtos.

A associação dos pequenos agrossilvicultores do projeto Reca contou com a ajuda da Pastoral da Terra e da Universidade Federal do Acre para elaborar o projeto, e em 1989 receberam a primeira ajuda externa. RECA significa:

Reflorestamento: A área que estava degradada é reflorestada;
Econômico: É da produção do que plantam que tiram o sustento;
Consorciado: Diversas espécies de plantas cultivadas juntas;
Adensado: Muitas árvores plantadas em uma pequena área, formando um bosque.

Atualmente o RECA envolve 12 famílias e atua em 3 frentes: organização dos produtores, implantação de culturas e industrialização/comercialização. O plantio é consorciado entre cupuaçu, palmito de pupunha e castanheira. Produz palmito em conserva, polpa de fruta congelada, “cupulate” (chocolate a partir da semente do cupuaçu), manteiga de cupuaçu, óleo de castanha-do-Brasil e semente certificada de pupunha. O palmito de pupunha é cultivado por ter um tempo menor de crescimento do que o palmito de açaí ou juçara, em geral extraídos de forma predatória ao meio ambiente. Além disso, seu cultivo é consorciado com outras culturas promovendo a biodiversidade e o equilíbrio dos agrossistemas.