SerOrgânico

Assentamentos Sol da Manhã, Santa Alice e Coletivo

Produtos: húmus, aipim, batata doce, guandu, tomate, limão galego, tahity,acerola, taioba, tomate, abóbora,pepino, maracujá,etc.

Local: Quiosque de Seropédica
Rua Fernando Costa 6 – junto à passarela
Contatos: João Pimenta Tel:  (21) 9355-5288 e Fátima Ohara (21)91983042

A partir de 2007 a Rede Ecológica se aproximou de agricultores de Seropédica, especificamente do assentamento rural do MST Sol da Manhã. Este assentamento foi criado em 1983 em área pertencente ao Incra, que deu apenas uma assistência técnica inicial na montagem após o recebimento do título. Houve também apoio do Pronaf e do Prosera e experiências com a Embrapa, a Pesagro e a Universidade Rural. O assentamento, na época de sua criação, era composto de 53 famílias que trabalhavam na terra. Por falta de assistência, muitos não conseguiram se manter, e atualmente apenas cerca de 20 famílias ainda trabalham a terra para sua subsistência.

Para a Rede Ecológica, produtores de assentamentos devem ser especialmente apoiados através das compras coletivas. Estabelecemos forte laço com João Pimenta, produtor e vice-presidente da Associação dos Microprodutores do Assentamento Sol da Manhã, e graças ao seu entusiasmo e dedicação, produtos de Seropédica entraram no cardápio semanal de frescos da Rede Ecológica.

A partir de 2009, um grupo de produtores agroecológicos (dos assentamentos Sol da Manhã e Eldorado, nas áreas rurais de Santa Alice e Coletivo) passou a se organizar sob o nome Serorgânico. São aproximadamente 15 produtores, que escoam sua produção para a Rede, para feiras e para o seu quiosque na Rodovia BR 465.

O quiosque dos orgânicos surgiu em 2007 – a partir de  projeto elaborado pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, com financiamento da ONG francesa Amar e apoio da ONG brasileira Idaco – para facilitar o escoamento da produção de assentados locais e outros produtores, divulgar o cultivo orgânico à população urbana e proporcionar a valorização e preservação do meio ambiente. Este quiosque tornou-se referência para o novo núcleo de consumidores que surgiu em Seropédica.

Os produtores do Serorgânico iniciaram o sistema participativo de garantia a partir de 2010, buscando adaptar-se à conformidade necessária para receber o selo orgânico. Este processo conta com o apoio da ABIO, e alguns consumidores da Rede Ecológica o acompanham.

Em 2010 os produtores do Serorgânico foram indicados pela Rede Ecológica para o Terra Madre no Brasil, organizado pelo Slow Food, que aconteceu em março de 2010, em Brasília. Passaram a ser reconhecidos como “comunidades do alimento” e a fazer parte da “Rede Terra Madre”. São as primeiras comunidades do Rio de Janeiro que fazem parte dessa Rede.