Coletivo Alaíde Reis

Produtos: Folhas, legumes, grãos, raízes, doces, geléias, pães, queijo

 

Local: Assentamentos Terra da Paz e Rosely Nunes, em Piraí – RJ e Irmã Dorothy, em Quatis – RJ
Contatos: Josias – telefone: (24)  99940-7963 (WhatsApp)
                Ednéia – telefone: (22) 99808-6258 (WhatsApp)

O Coletivo Alaíde Reis é uma organização que visa a cooperação das famílias organizadas na produção e comercialização de alimentos produzidos de forma agroecológica na Regional Sul Fluminense do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), um movimento nacional pela Reforma Agrária Popular no Brasil.

Atualmente o Coletivo é composto de 20 famílias dos assentamentos Terra da Paz e Roseli Nunes, localizados no município de Piraí, sul do estado do Rio de Janeiro, à cerca de 100 km da capital. O objetivo do Coletivo Alaíde Reis é organizar a produção e a comercialização dos alimentos. Para isso ele é composto de dois núcleos, um em cada assentamento, com uma coordenação dos trabalhos, como o recebimento dos pedidos e distribuição entre as famílias agricultoras, e uma coordenação geral, que é responsável pelas frentes de comercialização, administração e finanças do grupo.

Marcelo e Júlia são os responsáveis pelo núcleo do assentamento Roseli Nunes e Relma e José Luiz, pelo núcleo Terra da Paz. Segundo Relma Aparecida, uma das coordenadoras do núcleo do Assentamento Terra da Paz, as famílias se reúnem para trazer seus produtos para a entrega, neste encontro cada um atualiza o que vem produzindo e o que está no ponto de colheita. Quando chegam novos pedidos, ela já sabe distribui de acordo com a produção. Fazendo com que todos consigam escoar sua produção.

Com esta organização, o as famílias agricultoras organizadas no Coletivo Alaíde Reis hoje atendem grupos de consumidores organizados em alguns municípios na região e na cidade do Rio de Janeiro. A Rede Ecológica também é atendida com os produtos fornecidos por estas famílias.

Os alimentos produzidos pelas famílias do Coletivo Alaíde Reis são determinados pela aptidão social e local da região Sul Fluminense, sendo muito representativa no âmbito da fruticultura, folhas, legumes, grãos, raízes, alimentos derivados de animais de pequeno e grande porte, além de alimentos minimamente processados, como doces, geleias, pães, queijo, etc.

Os maiores desafios da Coletivo Alaíde Reis, além da organização interna, é a ampliação da sua rede de consumidores e a viabilidade de transporte para estes locais. No ano de 2019, em conjunto com a Rede Ecológica, criamos uma campanha para levantamento de fundos junto aos consumidores da cidade, para viabilizar a aquisição de um pequeno caminhão para o transporte dos alimentos. Os recursos arrecadados originaram o Fundo Solidário de Crédito para financiar os projetos das famílias. Os membros do Coletivo vêm se cotizando para pagar o financiamento feito pelo fundo será aplicado em novos projetos. Este é um novo desafio organizativo do Coletivo Alaíde Reis, já que o acesso à crédito junto aos bancos no Brasil é quase impeditivo para estas famílias.

 

Sobre o Coletivo Alaíde Reis