Família Freitas

Produtos de limpeza

Local: Rio de Janeiro – RJ
Tel: (21) 2482-0554
E-mail:  rubia.guevara@gmail.com
Contato: Joana Freitas

Tudo começou a partir da Cooperlimpe: Joana Freitas integrava uma cooperativa formada a partir de um curso de capacitação da Faetec sobre como fazer produtos de limpeza. A cooperativa denominada Cooperlimpe se estabeleceu em Coelho da Rocha, baixada fluminense. A Cooperlimpe, considerada uma iniciativa da economia solidária, passou a entregar seus produtos para a Rede Ecológica a partir de meados de 2003. Problemas financeiros levaram a cooperativa a falir, e o grupo se desintegrou neste mesmo ano, tendo sido suspenso o fornecimento dos produtos.

No inicio de 2004, a Rede Ecológica voltou a se aproximar de Joana, buscando a retomada da produção. Na época, ainda havia 3 ex-cooperados. Este pequeno grupo encontrou muitas dificuldades na compra da matéria prima, transporte e também em termos financeiros, o que levou a uma nova suspensão das entregas em final de 2004.

Em meados de 2005, a partir de novo convite da Rede Ecológica, Joana aceitou retomar a produção envolvendo sua família, a família Freitas. Neste momento incorporou também a produção de cadernos ecológicos e de sabonetes, cuja produção estava sendo descontinuada por falta de produtores.

Em setembro de 2006, Joana foi convidada a participar como responsável pela distribuição de alimentos e produtos do recém-criado núcleo de Laranjeiras da Rede Ecológica. Em janeiro de 2007 se transferiu para assumir a mesma função no núcleo do Humaitá da Rede Ecológica, onde está até hoje.

A partir de um trabalho em família, seus cinco membros passaram a trabalhar juntos, distribuindo entre si as tarefas: Rubenilton, um dos filhos, ficou responsável pela confecção dos cadernos ecológicos; Joana responde pela produção dos sabonetes e produtos de limpeza; Gabriel, seu marido, faz as compras da matéria prima e dos vasilhames, participando sempre do mutirão que antecede a entrega dos secos, a cada mês; Rubia, a filha, é responsável pela parte financeira e administrativa; e Rubenildes, com paralisia cerebral, também ajuda embalando os sabonetes, colocando os rótulos e dobrando as páginas dos cadernos.

O caderno ecológico representa uma nova atitude que se preocupa com o reaproveitamento de materiais, adiando sua transformação em lixo e evitando o desperdício, sendo um forte instrumento para difundir os trabalhos de educação ambiental. Surgiu a partir de uma experiência desenvolvida pelo Programa Vídeos Ecológicos da PUC/Rio e se propõe a mostrar uma prática de reaproveitamento simples e relativamente fácil. É confeccionado a partir de folhas cujos versos já foram aproveitados e capas de material já utilizado.

Desde 2003, a Rede Ecológica incorporou o caderno ecológico como um de seus produtos e sua confecção foi viabilizada pelo trabalho de Maira Teles, Gisele Viegas Ferreira e Cláudio Roberto da Cunha Pinheiro –sendo os dois últimos deficientes auditivos e visuais. Foram organizados três cadernos temáticos por Maira Teles com o apoio da FASE/SAAP: 1) Reduzir, Reaproveitar, Reciclar: Tratando do Lixo (uma compilação de textos do Caderno Temático “O Lixo e os 3Rs”). A intenção desta produção é ressaltar a importância de REDUZIR o consumo, REAPROVEITAR os materiais e RECICLAR o que for possível, uma diferente abordagem do lixo que produzimos nas grandes cidades; 2) Propriedades dos Alimentos da Rede Ecológica; 3) Produtos e Produtores da Rede Ecológica (a partir da organização de dados por Juliana Bueno).

Até 2005, os cadernos foram confeccionados em parceria com o Programa de Atendimento e Apoio ao Surdocego (PAS), do Instituto Benjamin Constant (IBC), orientado por Margarida Aguiar Monteiro, professora com especialização em educação especial. A partir de novembro de 2005, surgiu uma segunda oficina de cadernos ecológicos que funcionou como apoio à existente no IBC. À sua frente estava Joana B. dos Santos e sua família (família Freitas), que gentilmente cederam sua casa, em Madureira, para a sede desta segunda oficina. Rubenilton, que quer se formar como professor, realiza atualmente as oficinas de confecção destes cadernos.