Campanha de doação

Campo e Favela de Mãos Dadas contra o Corona Vírus e a Fome: A Rede Ecológica ampliando o acesso à Comida de Verdade

Nossa campanha O Campo e a Favela de Mãos Dadas se iniciou em abril de 2020 com a ênfase sobre a doação de cestas de produtos agroecológicos de forma a ampliar o acesso  à comida de verdade, sem veneno e com o mínimo de embalagens à populações de 7 territórios que passam por diferentes graus de vulnerabilidade. Na outra mão da campanha, fortalecemos pequenos produtores familiares e agroecológicos que enfrentavam o impedimento de escoar seus produtos nas feiras que foram reduzidas ou canceladas, em função da epidemia.

Em 2021, nossa preocupação em desenvolver a AUTONOMIA e a SUSTENTABILIDADE das populações alcançadas ganhou força. Daí nossa opção por fortalecer as ações ligadas à Agricultura Urbana, Educação Alimentar para geração de renda e a organização de Feirinhas Agroecológicas baseadas em Grupos de Consumo.

Desde o início desenvolvemos estas ações com 7 Instituições Parceiras da Rede Ecológica que já realizam trabalhos em torno da segurança alimentar de populações em situação de risco:

  • o CEM, na Serra da Misericórdia
  • a FAG-Fundação Angélica Goulart, em Pedra de Guaratiba
  • o SESM – SIM! – Eu Sou do Meio, em Berford Roxo
  • o Coletivo Rua Solidária, no centro da cidade do Rio de Janeiro
  • o CAC, em São João de Meriti
  • a APP-Vargens – Articulação Plano Popular das Vargens
  • o PDS Osvaldo de Oliveira, em Macaé

 

Para aumentar nosso poder de atendimento das famílias cadastradas iniciamos Campanhas de Arrecadação Internacionais e nacionais junto Amigos da Rede Ecológica: a BEM VINDO, na Suíça, e a AMAR, na França. E mais recentemente na Alemanha, através de uma associada, Julia Stadler. Contamos ainda durante 3 meses (julho a outubro de 2020) com o aporte da FIOCRUZ através da Chamada Pública para Apoio a Ações Emergenciais junto às populações vulneráveis Covid-19 (veja abaixo o Relatório da Campanha em 2020).

Para prosseguirmos com nossas ações de promoção da AUTONOMIA e da SUSTENTABILIDADE dos nossos 7 Parceiros precisamos do seu apoio!

Veja como pode ajudar:

Você pode fazer uma doação direto para a conta abaixo

Titular: Fabiana Santos Araújo
CPF: 102.417.327-51

Banco: Nu Pagamentos (0260)
Agência: 0001
Conta: 85077817-4

PIX: 10241732751

Para podermos ter um controle das doações e fazermos contato, pedimos que preencha o formulário abaixo se possível:
https://forms.gle/VSrptLnDNr1V6VP46

Se tem conhecidos ou amigos na Europa, divulgue as campanhas abaixo:
Na Suíça, acesse o Projeto Bem Vindo!
Na Alemanha e demais países da Comunidade Europeia (zona do euro):
BIC: BYLADEM1001
Julia u. Günther Stadler
DE03 1203 0000 1018 7507 27


Para os interessados da Europa:

Estamos planejando fundar uma associação na Alemanha, os “Amigos da Rede Ecológica”.
Como ainda não podemos colocar isso em prática, pedimos doações para a conta de Julia Stadler abaixo. Ela é membro da Rede Ecológica há 11 anos e aproveita a temporada na Alemanha para falar da situação do Brasil e ganhar amigos para a campanha.

Se você tiver alguma dúvida, Julia ficará feliz em responder pessoalmente: julia.redeecologica@gmail.com ou WhatsApp +49 160 1864929.

Pedimos a sua compreensão de que ainda não conseguimos emitir nenhum recibo oficial de doações. O processo desacelerou devido ao lockdown prolongado na Alemanha.

BIC: BYLADEM1001
Julia u. Günther Stadler
DE03 1203 0000 1018 7507 27

Wir planen, auch in Deutschland einen Verein
„Freunde der Rede Ecológica“ zu gründen.
Solange wir dies noch nicht in die Tat umsetzen können, bitten wir um Spenden auf das untenstehende Konto von Julia Stadler.
Sie lebt seit 12 Jahren in Rio de Janeiro, ist seit 11 Jahren aktives Mitglied der Rede Ecológica und nutzt ihren Aufenthalt in Deutschland um über Brasiliens Situation zu berichten und Freunde für die Rede Ecológica zu gewinnen.
Bei Nachfragen ist Julia sehr gerne bereit, diese persönlich zu beantworten: julia.redeecologica@gmail.com oder WhatsApp +49 160 1864929.

Wir bitten um Ihr Verständnis, dass wir bislang keine offiziellen Spendenquittungen ausstellen können. Durch den verlängerten Lockdown in Deutschland hat sich der Prozess verlangsamt.

BIC: BYLADEM1001
Julia u. Günther Stadler
DE03 1203 0000 1018 7507 27


 

Seja Amiga/o da Rede Ecológica e veja como a sua doação será revertida em Comida de Verdade e ações de autonomia, ligada a produção de alimentos, agricultura urbana, educação alimentar

SUA DOAÇÃO vai cobrir, além do custo direto dos alimentos das Cestas de Agroecológicos:

  • o apoio à logística, especialmente o transporte, um difícil gargalo da produção agroecológica.
  • o apoio aos projetos de Agricultura Urbana (veja, aqui, o que CEM e FAG têm realizado: Encontro de Quintais, Cisterna, Oficinas de Compostagem, etc.).
  • Educação alimentar (Caderno de Receitas, Cozinhas Comunitárias e outros projetos de geração de renda).
  • As cestas se transformaram rapidamente em Feirinhas Agroecológicas ao longo de 2020, tanto para facilitar a entrega, quanto para estimular o espirito solidário das famílias. A ideia é neste ano ampliar as feirinhas, a partir de criação de Grupo de Consumo que assuma a gestão da feira, já não mais baseados integralmente na doação.
  • Apoio a Jovens Comunicadores dos territórios, que foram muito ativos em 2020, possibilitando o registro do que acontecia. Fomentar uma formação mais completa.
  • Apoio à Produção Agroecológica a produtores que abastecem a campanha O Campo e a  Favela de Mãos Dadas.

Quem participa da Campanha O Campo e a Favela de Mão Dadas

PEQUENO PRODUTOR FAMILIAR AGROECOLÓGICO

Na origem das Cestas de Produtos Agroecológicos estão nossos produtores e os produtores de Feiras Orgânicas e Agroecológicas que já são parceiros. São os nossos interlocutores no abastecimento destas famílias que, enquanto ganham uma base estável de demanda e escoamento de seus produtos, cobram preços reduzidos que beneficiam os irmãos da cidade.

Sempre que possível, o momento da entrega das cestas é, também ocasião de passar a realidade e alguns importantes conhecimentos da agroecologia às famílias contempladas. Assim vai se construindo um canal que poderá representar a consolidação de uma relação que, até agora, ficou restrita a grupos de classe média, média alta.

Conheça os Produtores diretamente envolvidos, nesta Campanha / Meet the producers directly involved in this campaign:

 

INSTITUIÇÕES PARCEIRAS

Na Zona Oeste estão envolvidas: a Fundação Angélica Goulart (ex-Fundação Xuxa) que tem um trabalho consolidado em relação a crianças de Pedra de Guaratiba.

Em Vargem Grande a Articulação Popular das Vargens que atende a famílias da região e que deverá se voltar para apoio a um produto precioso, o caqui, diminuindo o desperdício da colheita, encontrando formas variadas de aproveitá-lo.

O Coletivo Rua Solidária, voltado para a população de rua no centro da cidade.

Na Zona Norte a instituição é o CEM que tem um trabalho de muitos anos de agricultura urbana na Serra da Misericórdia e em 2020 trabalhou com encontros de quintais, cisterna, cozinha coletiva, entre muitas outras atividades.

Em Belford Roxo, é o SIM! EU SOU DO MEIO que atende à crianças e famílias da Rua do Meio.

Em São João de Meriti na escola comunitária CAC , um trabalho de horta comumitária em seu maravilhoso quintal.

E, finalmente, no norte fluminense, em Macaé, o Assentamento do MST Osvaldo de Oliveira que a despeito de ser considerado um modelo para o desenvolvimento sustentável está, atualmente, sob ameaça de despejo. Conseguiu-se com muita mobilização popular, interromper o despejo que estava planejado, mas a situação ainda não está resolvida.

PARCEIROS NO EXTERIOR

A Rede Ecológica buscou apoio internacional, o que levou  à criação de uma Associação de Amigos da Rede Ecológica na Suíça que lançou a Campanha de Arrecadação BEM VINDO.

Veja aqui como aconteceu o surgimento da Suíça.

 

Bem vindo

A Rede Ecológica buscou apoio internacional, o que levou  à criação de uma Associação de Amigos da Rede Ecológica na Suíça que lançou a Campanha de Arrecadação BEM VINDO.

Veja aqui como aconteceu o surgimento da Suíça.

 

 

 

Amar

A solidariedade internacional se irradiou e nossa parceira francesa, a AMAR, juntou-se a nós e à nova Associação de Amigos da Rede na Suíça e se dispôs a estender nossa campanha, organizando uma vaquinha eletrônica que se manteve por boa parte do ano de 2020.

Por esse motivo, a Rede Ecológica tem interagido muito com a AMAR e participado do Fórum e dos eventos que organiza em sua sede em Rennes, na Bretanha.

 

 

 


 

Conheça o vídeo que deu início à campanha:

(Watch the english version)

 


BALANÇO GERAL DAS AÇÕES E DOAÇÕES REALIZADAS JUNTO AOS TERRITÓRIOS – ABRIL a DEZEMBRO DE 2020

 De abril/2020 (início da campanha) a dezembro/2020 a Rede Ecológica mobilizou para Campanha R$ 208 mil reais, em arrecadações mobilizadas no Brasil e no Exterior, principalmente junto a associados, parceiros e amigos da Rede Ecológica, mas também através de editais. E foram gastos na campanha R$ 131 mil reais. Tem-se buscado ter em caixa recursos que permitam um planejamento das ações para os próximos 3 meses, para que não haja uma interrupção de uma hora para outra. Em dez/2020 o saldo era de R$ 77 mil, garantindo as ações até abril/2021.

 

Quadro – Arrecadações e Gastos da “Campanha Campo e Favela”, de abril a dezembro de 2020

  Fonte dos Recursos (arrecadações) Valor arrecadado (R$) Valor Gasto (R$) Saldo em 5/jan/2021
Doações no Brasil Doações Rede (associados e amigos) R$88.169,06 R$17.019,54 R$71.149,52
Edital FIOCRUZ (parceria AS-PTA) R$50.000,00 R$50.003,00 -R$3,00
Edital Prêmio Conselho Arquitetura e Urbanismo R$8.000,00 R$2.200,00 R$5.800,00
Total Doações no Brasil R$146.169,06 R$69.222,54 R$76.946,52
Doações no Exterior Alemanha R$9.289,64 R$9.301,07 -R$11,43
França-AMAR R$ 27.136,78 R$ 27.157,79 -R$ 21,01
  Suíça – Bem Vindo R$25.366,10 R$25.395,21 -R$29,11
Total Doações no Exterior R$61.792,52 R$61.854,07 -R$61,55
TOTAL GERAL (abril a dez/2020) R$207.961,58 R$131.076,61 R$76.884,97

 

  • Seguem em 2021 os esforços para a continuidade das arrecadações e das doações.
  • Os compromissos da campanha com a doação de cestas agroecológicas nos territórios, desde set/2020 são de cerca de R$ 15 mil por mês e a proposta em 2021 é dar ênfase às demais ações da campanha, que permitam resultados mais permanentes, através do fortalecimento da capacidade organizativa dos territórios, assim como da agricultura urbana e da educação alimentar.
Principais Ações realizadas
  • A principal ação da Campanha Campo e Favela de mãos dadas contra o Corona e a Fome é a Doação de Cestas Agroecológicas, compradas diretamente de agricultores agroecológicos próximos, fortalecendo os laços entre campo e favela. Entre abril e dezembro de 2020 a Campanha possibilitou a doação de 3 mil cestas agroecológicas, que beneficiaram 254 famílias (cerca de 1.370 pessoas) nos 7 territórios. A doação das cestas representou 70% dos recursos gastos.
  • Pelo lado dos produtores, cerca de 115 famílias agricultoras agroecológicas se beneficiaram com esta entrega quinzenal das cestas, compensando os prejuízos ocasionados pela redução dos canais de venda por conta da quarentena da COVID 19. As doações de cestas contribuíram ainda para fortalecimento de coletivos de agricultores agroecológicos nos assentamentos de Reforma Agrária, que ganharam mais visibilidade frente à sociedade, com destaque para o PDS Osvaldo de Oliveira, em Macaé, com cerca de 60 famílias ameaçadas de despejo da terra. A distribuição das cestas é complementada com trocas e orientações sobre como preparar os alimentos, reduzir os desperdício, apresentação das PANCs e ervas medicinais. Em várias das entregas, a presença dos agricultores possibilitou trocas e conversas sobre a Reforma Agrária e sobre a relação campo-cidade, além de intercâmbios com a agricultura
  • A Campanha viabilizou um apoio às organizações nos territórios para o transporte de alimentos recebidos de outras fontes de doação, com destaque ao transporte das quentinhas do Rua Solidária entre a cozinha onde os alimentos são preparados e o local de distribuição para a população em situação de rua.
  • Além das cestas, um conjunto de outros apoios e ações foram realizados, conforme apresentado no quadro a seguir.

 

Quadro – Detalhamento dos gastos realizados com a Campanha Campo e Favela por tipo de ação, entre abril e dez/2020, no conjunto dos territórios 

TIPO GASTO Valor (reais) Descrição
Doação de Cestas R$ 90.169,46 Cestas Agroecológicas – compra direta agricultores
Transporte Alimentos R$ 3.002,00 Transporte Alimentos
Acesso a Água R$ 6.390,00 Doações de 43 filtros para água e apoio a construção de cisterna comunitária no CEM
Prevenção COVID – Material Higiene R$ 8.200,00 800 Máscaras de tecido (feitas por mulheres da comunidade) e 80 Kits limpeza para famílias (álcool gel, sabonete líquido e cloro)
Apoio à Produção na Reforma Agrária R$ 2.430,00 Apoio para a produção e comercialização de feijão no Assentamento PDS Osvaldo de Oliveira
Apoio à Agricultura Urbana R$ 2.314,00 Kits com sementes, mudas, ferramentas, composto, vasos de pano. As mudas foram produzidas nos próprios territórios
Comunicação R$ 6.750,00 Apoio a jovens comunicadores para o registro das ações nos territórios e produção vídeos.
Materiais educativos R$ 3.403,00 Banners, folder, cartazes e materiais educativos da campanha e 200 cadernos artesanais com orientações e receitas
Outros apoios R$ 4.100,00 Balança para o SIM, água para banho (Rua Solidária), transporte para intercâmbios e apoio às pessoas que ajudam nas entregas
Custos Bancários e Administrativos  R$ 4.318,00 Despesas bancárias (mensalidades de conta corrente, taxas de transferências), contabilidade, gerenciamento administrativo e financeiro do Projeto Fiocruz
TOTAL de gastos R$ 131.076,46 De abril a dez/2020, nos 7 territórios abarcados pela campanha

 

  • O projeto FIOCRUZ incluiu a distribuição de materiais de higiene e máscaras, estas últimas confeccionadas por mulheres de um dos territórios, colaborando para a geração de renda. Houve ainda apoio à melhoria da qualidade da água, um item básico da segurança alimentar, com a doação de filtros e o apoio à construção de uma cisterna comunitária pelo CEM, que faz no território uma luta pelo acesso a água e saneamento, elementos básicos para o fortalecimento da saúde.
  • Os recursos viabilizaram ainda apoios a jovens comunicadores dos territórios, para o apoio ao registro das ações e à divulgação da campanha junto aos doadores, mas envolvendo também o trabalho voluntário de associados da Rede Ecológica.
  • A quase totalidade das ações da campanha é realizada com trabalho voluntário (de associados da Rede Ecológica e das organizações nos territórios), envolvendo desde a elaboração da campanha, sua divulgação, o planejamento das ações, o controle financeiro, o acompanhamento aos territórios. Vale destacar que parte dos itens comprados para distribuição às famílias foram produzidos nas próprias comunidades, como as máscaras de tecido (prevenção à COVID), alguns componentes do Kit de agricultura urbana (como mudas e vasos de tecido) e o caderno ecológico de receitas (montado por mulheres de uma cooperativa de coleta de papel reaproveitado).
  • A Rede Ecológica ainda no âmbito da campanha organizou 3 encontros: um I Seminário de Agricultura Urbana; uma roda de conversa sobre comida de verdade e finalmente um encontro para debater os grupos de consumo (todos acessíveis no youtube da Rede Ecológica). Os três eventos tinham relação direta com a ênfase que a Rede quer dar ainda mais no ano de 2021, tendo como característica comum trazer os territórios para compattilharem sua experiência acumulada até para inspirar os que estão começando.
  • Ainda de destaque cabe a confecção de um caderno de receitas, que vai bem além, transmitindo um pensar sobre a maneira como pode-se aproveitar da melhor forma os alimentos agroecológicos, percebidos como um divisor de aguas pelas comunidades Possibilitar o preparo destes alimentos até para gerar renda, conhecer seu universo e seu papel foi o que a comissão de finanças da Rede Ecológica conseguiu fazer com este caderno de receitas, que está sendo distribuído para os diferentes territórios.
  • No ano de 2021, a expectativa é em reduzir as cestas e aumentar o foco na agricultura urbana, estimulando a troca de experiências entre os territórios, que mostram um potencial riquíssimo. O papel da compostagem, as pnacs, o plantio, a comercialização. O aspecto da geração de renda é crucial, fomentando autonomia e
  • Finalmente, um aspecto importante que aconteceu, que foi a transformação da entrega das cestas em feirinhas, em que as pessoas se serviam a partir de delimitações, enfatizando-se o olhar solidário. A ideia em 21 é fomentar o fortalecimento de feirinhas que extrapolem a doação, e para tal se fomentará grupos de consumo, que serão novos núcleos da Rede Ecológica.
  • Finalmente, em 2020 jovens dos territórios cobriram com fotos e vídeos o que estava acontecendo, preparando o terreno para um vídeo a respeito da campanha que será produzido em Em 2020 de destaque há um vídeo introdutório a campanha produzido pela AMAR, com a direção de Caroline Leduc (França).
  • Importante destacar o apoio dado pela Rede Ecológica ao assentamento Oswaldo de Oliveira, um dos territórios da campanha, no momento mais agudo da ameaça que estava sofrendo de Conseguiu mobilização internacional e nacional, contribuindo para um desfecho de suspensão da ordem de despejo, ainda que a ação não esteja definida.