Ameaça de despejo no campo: nova ameaça de despejo do quilombo Campo Grande em Minas Gerais

Hoje teremos novamente noticias do MST, dando especial destaque à ameaça de despejo do Quilombo Campo Grande, em Minas Gerais, luta esta com a qual a Rede Ecológica se envolveu em 2018. As ameaças de despejo, a luta e a Resistência do Quilombo Campo Grande foram registradas por 3 vezes (até a vitória), na nossa Carta Semanal, especificamente no final de 2018. Importante vocês valorizarem esta possibilidade de resgatar o passado através de nossas cartas,  disponíveis na intranet. Este é  um  espaço que além de ser informativo, também é repertório de memórias e espaço de denúncia e resistência.

Clique aqui e veja a matéria que divulgada

Neste episódio do passado ficou visível uma união de esforços do exterior e daqui, e uma campanha muito bem organizada, que foi vitoriosa. Neste momento estamos em uma situação muito mais adversa. Mas precisamos dar todo nosso apoio a este acampamento exemplar.

Indicamos material elaborado pelo coletivo de relações internacionais do MST. São vários passos a serem seguidos:

APELO À  SOLIDARIEDADE

Durante mais de vinte anos resistindo e produzindo alimentos saudáveis, o  acampamento Quilombo Campo Grande, produtor do Café Guaií, no sul de Minas Gerais, uma vez mais tem a data de despejo estabelecida para a próxima quarta-feira, dia  12 de agosto.

Veja COMO APOIAR, abaixo, e entenda melhor o que está acontecendo este vídeo:

COMO APOIAR

Passo 1: Envie aos seguintes emails

www.tjmg.jus.br/falecomtjmg

sco64bpm@gmail.com (Polícia Militar )

bhe.vagraria@tjmg.jus.br (Tribunal Agrario)

com cópia a crdh.territoriosul@gmail.com (monitoria de casos)

o seguinte texto  

Ao Dr. Gilson Soares Lemos

Declaro meu pleito de que suspendam os efeitos da decisão sobre a reintegração de posse do  PROCESSO N ° 6105218-78.2015.8.13.0024  de acordo com a orientação do ministério da Justiça, de que não deve haver despejo durante o isolamento social, de acordo com os artigos 22 a 23 do DUDH, que se relaciona com os direitos sociais, o direito ao trabalho, a escolha do trabalho, já que as famílias estiveram com a posse da área durante mais de 20 anos, tendo ali seus lares, produção e reprodução da vida neste lugar. 

Pela solução do conflito e pela permanência das famílias, faço este apelo 

Nome da organização

Estado

País 

Data

_________________________________________________________________________

PASSO 2 – ASSINE a moção de apoio:

https://secure.avaaz.org/community_petitions/po/tribunal_de_justica_de_minas_gerais_salve_quilombo/?cmsuEnb&utm_source=sharetools&utm_medium=copy&utm_campaign=petition-1088747-salve_quilombo&utm_term=msuEnb%2Bpo

—————————————————————————————————————————

PASSO 3 – Grave um vídeo horizontalmente, de 2 minutos a 3 minutos, expressando seu apoio ao Acampamento Quilombo Campo Grande, do MST, denunciando a ilegalidade de um despejo em meio a uma pandemia. 

Publique em suas redes sociais e marque @movimentosemterra e @minassemterra. Use a hashtrag #salvequilombo e #despejozero.

Queremos agradecer a todos/as vocês que são solidários/as com a luta e semeiam conosco um mundo de saúde e  dignidade para os trabalhadores e trabalhadoras.

Vejam também a campanha em:

https://www.instagram.com/p/CDhFFXFpvhD/ e https://www.facebook.com/minassemterra/videos/2291076164372534/)

Encaminhamos também o link de uma vaquinha eletrônica que eles estão fazendo, neste momento tão difícil: https://www.catarse.me/sosquilombonapandemia

https://mail.google.com/mail/u/0/#inbox/KtbxLzGHgCbCGrnPjzgjtZHpZscPLmzMrg?projector=1

Mais Notícias do MST: Assentamento Oswaldo de Oliveira segue Ameaçado de Despejo

Do assentamento Oswaldo de Oliveira, em Macaé, nos vieram notícias do lançamento de sua loja Terra Crioula

Em 17 de julho, o MST na Região dos Lagos, em Macaé/RJ, realizou sua 1ª entrega das cestas da Reforma Agrária e inaugurou seu mais novo espaço de comercialização agroecológica, o “Terra Crioula”. Esta é uma iniciativa que já vem sendo realizada há mais de dois anos no centro da capital carioca. As cestas contam com produtos agroecológicos, muitos deles produzidos coletivamente, todos livres de agrotóxicos e transgênicos, oriundos dos assentamentos e acampamentos do MST da região. Em Macaé, as assentadas e assentados do PDS Osvaldo de Oliveira e as acampadas e acampados do acampamento Édson Nogueira, realizaram de forma virtual a inauguração do espaço, através de uma Live, na qual participaram o professor Ramiro Dulcich (UFF), as professoras Vanessa Schottz e Camila Laricchia (ambas da UFRJ), o vereador Marcel Silvano, Ivania (professora e coordenadora do FAC), Gabriel (Coordenador do espaço Terra Crioula estadual), Alexandre Gomes (comunicador regional do MST) e assentadas e assentados do PDS Osvaldo de Oliveira.  A inauguração se deu desta forma, devido à preocupação e os cuidados que o coletivo de saúde do MST tem com sua base assentada, acampada e com seus parceiros(as) e amigos(as), mediante a crise  sanitária em que nos encontramos. Devido à pandemia o espaço inicia suas atividades somente com a entrega das cestas da Reforma Agrária, porém o objetivo do Terra Crioula vai além de um simples espaço de comercialização, pois nele devem ocorrer atividades culturais/artísticas, oficinas, rodas de conversas, dentre outras, que serão retomadas assim que sairmos do isolamento social.

Para a realização desta conquista contamos com a parceria do vereador Marcel Silvano e da professora Ivania, da mesma forma com os(as) amigos(as) e parceiros(as) cestantes que apoiaram esta iniciativa adquirindo sua cesta, que nesta 1º edição foram 30 (trinta). 

As entregas das cestas da Reforma Agrária ocorrerão de 15 em 15 dias, sempre às sextas feiras, no FAC, localizado na Rua Teixeira de Gouveia, nº 1051, centro de Macaé. Os pedidos são disponibilizados e solicitados através de uma lista catálogo, enviado via WhatsApp.

Importante a referência ao acampamento Edson Nogueira, que receberá cestas do assentamento para sua cozinha comunitária. O acampamento Edson Nogueira é onde funciona a Unidade Pedagógica de Agroecologia do MST em parceria com instituições públicas e acadêmicas com o objetivo de capacitar as famílias, parceiras e parceiros no manejo agroecológico, tendo como eixo central a conservação ambiental dos bens naturais e a ampliação da produção agroecológica na região.  

Chamada urgente! Vamos participar?

Estamos precisando de reforço para várias ações, especialmente ligadas à campaha:

1. para alimentar as redes sociais (Facebook, Instagram etc.)

2. pessoas que acompanhem os territórios onde estão acontecendo as ações

3. apoio para a carta semanal

4. apoio ao site